10 de novembro de 2016

Resenha » Pensei que Fosse Verdade, de Huntley Fitzpatrick


Uma ilha paradisíaca, apesar de sua beleza, pode esconder muitas histórias marcadas pela mágoa e pelo ressentimento. O recanto de Seashell pode soar como um paraíso escondido para muitas pessoas, mas para Gwen Castle, este é um pedaço de terra que representa apenas uma grande parte da sua vida que ela mal pode esperar para deixar pra trás. Entenda como um lugar tão bonito pode representar uma verdadeira prisão para uma garota tão cheia de vida na análise de hoje: Pensei que Fosse Verdade!



Now playing: Photograph - Ed Sheeran

Pensei que Fosse Verdade, livros huntley fitzpatrick, What I Thought Was True, livros de verão, livros de romance, livros editora valentina

Gwen Castle vive num paraíso litorâneo que poderia facilmente ser o sonho de qualquer adolescente – ou melhor, de qualquer ser humano vivo na Terra (inclusive eu, beijos). Os elementos principais do seu dia-a-dia incluem a brisa do mar, as conchas espalhadas pela areia indo de encontro aos seus pés ao caminhar e o som do oceano preenchendo sua audição. Apesar de acolhedora, a ilha de Seashell também se torna uma espécie de limitação entre o paraíso e o "mundo real" – e é exatamente para este mundo que o coração de Gwen anseia partir. Além dessa angústia, Gwen precisa conviver com a ideia de que um dos maiores erros de sua vida – Cassidy Somers – está trabalhando na ilha durante a temporada. Esta é a hora de Gwen deixar reputações antigas para trás, rever seus planos e finalmente fazer as pazes com seu passado.



❝ O acabamento da obra
A vida é mais do que aquilo que você tem medo.

O livro tem autoria de Huntley Fitzpatrick, uma americana que sempre sonhou em escrever seus próprios romances. Aqui no Brasil, o livro foi publicado pela editora Valentina, que como sempre realizou um trabalho muito atencioso; não encontrei erros de revisão ou diagramação e me senti confortável com a leitura. As folhas do livro são amarelas e um pouco finas. A história em si se desenrola em capítulos curtinhos, totalizando 38 deles ao final da obra. No total, temos 336 páginas de uma história leve e carismática. A capa é simples, com uma chamada destacando o enredo da história, mas que em minha opinião combina bastante com toda a narrativa. A autora também é bem lembrada pelo seu romance de estreia, Minha Vida Mora ao Lado (também publicado pela Valentina), que inclusive recebeu vários prêmios especializados na literatura young adult.




❝ Por que você deve ler
Quando é amor de verdade, basta você olhar nos olhos da pessoa para saber.

Pensei que Fosse Verdade, livros huntley fitzpatrick, What I Thought Was True, livros de verão, livros de romance, livros editora valentina

Pensei que Fosse Verdade tem um toque suave que chega ao leitor como uma doce brisa de verão. Enquanto as páginas vão passando, o leitor quase consegue sentir o mormaço que envolve a ilha de Seashell e ainda se vê tomado por uma necessidade imensa de ver o mar e sentir areia nos pés; levando em consideração os aspectos sensoriais da obra, realmente temos aqui uma grande prova de que livros nos levam para qualquer lugar do mundo.
Esta é uma obra para quem está procurando algo simples para ler, sem a necessidade de quebrar a cabeça com questões misteriosas ou conflitos existenciais de qualquer espécie, uma vez que a narrativa é embalada basicamente pelo dia-a-dia dos moradores da ilha, seus relacionamentos com os veranistas, e claro, a vida de Gwen, seus amigos e seus affairs. Como qualquer adolescente, nossa protagonista está sempre ambientada em luaus ao entardecer ou baladinhas nas casas de amigos, de modo que o cenário da obra se centralize de fato na ilha. O foco do enredo se concentra na relação de Gwen com Cass, um garoto rico da cidade que já é velho conhecido de nossa personagem principal e retorna para sua vida de forma inesperada. Gwen se divide e não consegue ponderar entre os pensamentos de seu coração, que sempre foi apaixonado por Cass, e de sua razão, que lembra-se de tudo o que ambos já viveram – sendo essas recordações nem sempre tão boas. Se você gosta de histórias de amores mal-resolvidos e daquela expectativa de resolução, flertes e flashbacks, este é um livro que indico bastante. Também pode ser uma boa opção para aquelas pessoas que querem ler um romance sem tanta profundidade, apenas como distração ou pausa entre um livro e outro. A obra trata ainda de assuntos considerados tabus pelos adolescentes, como sexo e fidelidade. Esta é uma iniciativa muito interessante da autora, uma vez que escritores de young adults são cada vez mais responsáveis por influenciar seus leitores.

De um modo geral, um bom romance para quem quer algumas horas de distração!




❝ Preste atenção
Se houvesse uma Olimpíadas de mentir para si mesmo, eu ganharia a medalha de ouro.

Pensei que Fosse Verdade, livros huntley fitzpatrick, What I Thought Was True, livros de verão, livros de romance, livros editora valentina

Não há muitos pontos que demandam grande atenção do leitor para esta obra em questão. De um modo geral, acho que seria interessante destacar que esta é uma história que cativa justamente pela simplicidade, portanto a leitura é conveniente para aquelas pessoas que estão buscando uma história mais leve; pessoas que estiverem buscando algo mais elaborado, com reviravoltas ou grandes questões a serem resolvidas, talvez devam aguardar um pouco mais para ler o livro, uma vez que recomendo a leitura justamente para aqueles que estão saturados de temas pesados e queiram algo para se distrair.




❝ Meu toque pessoal
Finalmente entendi que às vezes nós nos apegamos a uma pessoa...
...porque não sabemos o que buscar em seguida.

Como acontece em toda obra, Pensei que Fosse Verdade possui seus pontos positivos e negativos. O livro é bastante interessante de um modo geral, mas em minha opinião, o enredo poderia ser um pouco melhor trabalhado, pois em vários momentos senti falta de um clímax na história, ou de que algo literalmente acontecesse; nos limitamos à rotina de Gwen e sua relação com Cass, e apesar de existirem outros conflitos com outros personagens, os motivos são praticamente os mesmos. Não consegui sentir uma identificação imediata com a história ou com algum personagem, apesar de ter achado a narrativa gostosa e fácil de se ler.

Pensei que Fosse Verdade, livros huntley fitzpatrick, What I Thought Was True, livros de verão, livros de romance, livros editora valentina

A autora também inseriu vários temas polêmicos na obra, como sexo, por exemplo. Essa foi uma ideia bem interessante, pois este é um assunto tabu que deve ser de fato discutido (principalmente entre os jovens), e no caso do livro, há dois lados da moeda que devem ser analisados: muitas vezes, Gwen e Viv falavam do assunto com um pouco de banalidade, e a expressão "é só sexo" foi mencionada de forma bastante extensiva no livro; apesar de iniciar a narrativa com essa suposta superficialidade, a autora conseguiu ao final do livro conscientizar os personagens (e automaticamente, o leitor também) de que toda ação causa uma reação, e que precisamos ser responsáveis pelas nossas atitudes. Ou seja, mesmo quando o sexo é "só sexo", pode vir acompanhado de consequências que trarão muitos arrependimentos no futuro. Essa sacada de Huntley foi realmente muito propícia, levando em consideração o público alvo da obra e as possíveis concepções pessoais que os mesmos possam ter sobre sexualidade.

Uma coisa que me definitivamente encantou no livro foi a suavidade com a qual a autora conseguiu inserir humor na história, de forma que me pegava muitas vezes dando risadinhas com as ironias da protagonista ou de alguma coisa engraçada que seu irmãozinho fez ou falou; a propósito, o irmão mais novo de Gwen, Emory, garante ótimos momentos no livro. Além dele ser super fofinho e engraçado, nos deixa também uma lição gigante a respeito de inclusão, uma vez que estamos falando de uma criança com necessidades especiais. Não sabemos exatamente o que Emory tem, mas é uma doença que fragiliza sua saúde e reduz um pouco suas habilidades, de forma que exige muito cuidado e atenção por parte de sua família. Gwen está sempre pronta para renunciar à tudo em nome de seu irmão e suporta tudo por ele, preocupando-se o tempo todo com sua integridade ou abrindo mão até mesmo de suas vontades para fazer algo por ele. Quando os dois apareciam juntos, eu sempre me encantava e era risada na certa!




❝ Considerações finais
O fato de você sempre ter tido uma coisa não quer dizer que sempre vai tê-la.
Que o que você sempre quis nem sempre é o que vai querer.

Um livro que aquece o coração, mas que poderia ser ainda melhor. É indiscutível a capacidade da autora de criar histórias belas e que tragam certa identificação ao leitor, mas ainda assim, um pouco mais poderia ser retirado dessa cativante obra, assim como também os relacionamentos entre os personagens (não só os casais) poderiam ter sido mais explorados. De qualquer forma, uma indicação certeira para pessoas românticas e que gostam de casais um pouco problemáticos como protagonistas. Compre sua passagem para Seashell, e tire suas próprias conclusões ao som das ondas do mar! ♥

Pensei que Fosse Verdade, livros huntley fitzpatrick, What I Thought Was True, livros de verão, livros de romance, livros editora valentina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu interesse e disposição em comentar a postagem do blog!

Espero que tenha gostado de sua visita.
Volte sempre! :-)