1 de outubro de 2015

Resenha » Extraordinário (R. J. Palacio)


Extraordinário é um daqueles livros que quando você pega nas mãos, não sabe muito bem o que vai encontrar. Não sabe se vai rir, se vai chorar, ou até mesmo como a história vai se desenrolar. Iniciamos o livro sabendo de uma única informação principal:  August Pullman – o nosso protagonista – é um garotinho de 10 anos que possui uma rara síndrome genética, cuja sequela mais grave é uma severa deformidade facial e algumas limitações em seu corpo físico. Ok, isso já é suficiente para imaginarmos uma centena de coisas, inclusive a típica pergunta “MEU DEEEUS como será o rosto desse menino??” Com o passar das páginas você vai percebendo que uma questão que antes era tão relevante, se tornou um simples detalhe que você nem faz mais tanta questão de saber, perto de tantos feitos incríveis que esse mocinho foi capaz de fazer.



O livro em si descreve um pedaço (muito pequeno, por sinal) da vida de August, mas um momento em especial se destaca nessa aventura: a sua integração na sociedade. Com 10 anos e sem nunca ter ido para a escola, os pais de Auggie (como a família o chama, e como você também não deixará de chamá-lo após alguns capítulos) decidem que está na hora dele frequentar um colégio de verdade ao invés de apenas receber as aulas que sua mãe lhe dá em casa. Naturalmente isso causa muito receio e espanto no garotinho, mas de qualquer forma, ele aceita. Esse é o ponto de partida para vida de nosso extraordinário começar de fato.

Dizer “sim” para a escola não foi uma decisão fácil, mas muita luta ainda estaria por vir e muitos outros desafios precisarão ser superados. Aparentemente de forma infantil, o livro surpreende e se mostra extremamente maduro em muitos momentos, o que faz o leitor acompanhar de perto a transição de August de um menino frágil e completamente dependente, para um pequeno hominho destemido e inspirador.

Para contar sua magnífica história, August não está sozinho e o livro se divide em vários capítulos que convidam seus amigos e familiares a partilharem o que eles pensam a respeito de tudo isso, o que faz o livro ser ainda mais dinâmico e especial. Não é só uma espécie de diário compartilhado; é um relato íntimo e doce (mesmo com o mundo sendo muito cruel, as vezes!) da história de um vencedor.



❝ O acabamento da obra


A edição que li foi a primeira lançada pela Editora Intrínseca, em que a capa é branca com o título em vermelho. Particularmente, acho mais bonitinha essa versão da capa azul que saiu depois, mas isso é apenas questão de estética mesmo. O livro possui orelhas (a-d-o-r-o orelhas) e folhas amarelas e grossas, o que facilita a leitura. A distribuição dos capítulos também é bem fluida, pois eles são divididos em sub-títulos com textos pequenos, de uma página e meia no máximo, o que achei super bacana pois deixou a leitura super leve. O tamanho da letra também achei bem adequado e não cansa os olhos.



❝ Por que você deve ler


Eu realmente poderia te dar mil motivos para ler esse livro, mas creio que todas as palavras não valeriam de nada quando chegasse o momento em que você folheasse o livro por si mesmo. A narrativa é extremamente encantadora, soando até mesmo em alguns momentos infantil, mas que com o passar da história você percebe que na verdade, o livro é uma lição de vida muito adulta. Leia de coração aberto, pronto para tirar das páginas uma das mais belas histórias de superação que você já leu.




❝ Preste atenção

Principalmente no local em que você está lendo o livro... digo isso pois finalizei o livro numa hora vaga do trabalho, e provavelmente passei vergonha ao derramar algumas lágrimas na frente de todo mundo no final do livro!



❝ Meu toque pessoal


Se eu pudesse ter a oportunidade de mudar algo nesse livro, não mudaria absolutamente nada. No início confesso que enquanto lia, ousei pensar “poxa, mas vai ser assim nessa conversa de jardim de infância o livro todo?”... mas com o tempo, você simplesmente se apaixona pelo jeito meigo de Auggie contar sua vida e torce para que ele volte a narrar a história a todo momento. Não confunda uma história sobre crianças, com uma história para crianças. Extraordinário não se restringe à nenhuma faixa etária; creio que emocionaria da mesma forma uma criança que lê com os pais antes de dormir, um adolescente do ensino médio e um adulto voltando para casa após um dia de trabalho. Sem preconceitos!



❝ Curiosidade

Você sabia que Extraordinário foi inspirado por uma história real? ♥
A inspiração da escritora nasceu após um dia em que ela estava numa sorveteria com seus filhos (e ela é tão incrível que até deu um jeitinho de colocar essa cena em um capítulo do livro mesmo),  e de repente seu filho mais novo - na época com 3 anos - começou a chorar após ter se deparado com uma garotinha que tinha severas anomalias craniofaciais. Logo após o ocorrido a nossa autora procurou afastar o filho da outra criança para evitar maiores constrangimentos, mas naquele instante sentiu que precisava fazer alguma coisa a respeito da situação. À noite, enquanto refletia sobre o acontecimento e ouvia a canção "Wonder", da cantora Natalie Merchant, começou a escrever o livro na esperança de reverter essa situação e fazer o diferente se tornar cada vez mais normal na mente das pessoas.



❝ Considerações finais


Facilmente, uma das leituras mais doces do meu ano. Indico com todo o coração, com a certeza de que da mesma forma que a história tocou meu coração, tocará o seu também!




❝ Quiz extraordinário

Já leu o livro? Sabe tudo da jornada incrível de nosso pequeno Auggie? Então clique aqui e teste seus conhecimentos a respeito dessa história extraordinária! :3


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu interesse e disposição em comentar a postagem do blog!

Espero que tenha gostado de sua visita.
Volte sempre! :-)